Pesquisar neste blog

Carregando...

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Grupo Teatro Arroz com Feijão

Aqui quem vos fala é Felipe Scalco, Diretor do Grupo Teatro Arroz com Feijão de Osasco. Venho até aqui para parabenizar o trabalho de todos os envolvidos neste maravilhoso projeto. Desde o nosso amigo Abílio, passando pelos coordenadores regionais, pela nossa fantástica orientadora Flavia Bertinelli e mais importante que tudo, os atores do nosso Grupo, são eles: Talita Felonta, Guilherme Vale, Roberto Asor, Anderson Aguiar, Maurício Morgue, Cris Crucitti e Suelen Moreira.

Sou eternamente grato a todos vocês, e também a uma pessoa que me aguenta com a paciência de que somente Jó poderia ter: nosso querido amigo e enigmático Rei Bass, assistente de direção e músico.

Foto 1 - Roberto Asor, Talita Felonta, Suelen Moreira, Anderson Aguiar, Cris Crucitti, Guilherme Vale, Maurício Morgue, Felipe Scalco e Rei Bass.
Foto 2 - O dia em que os atores ganharam um presente, suas personagens.
Foto 3 - Nossa orientadora Flavia Bertinelli no trabalho com mascaras.
Foto 4 - Massagem a 12 mãos, um felizardo é sorteado após um dia de trabalho.

Aos blogueiros: se quiserem entrar em contato o e-mail do Grupo é teatroarrozcomfeijao@gmail.com

EVOÉ BACO!!!
-
Felipe Scalco - Diretor
Grupo Teatro Arroz com Feijão
(11) - 75363079

Notícias da Cia. "Ainda sem Nome"

A Cia. "Ainda sem Nome", de Ribeirão Preto, acabou de entrar em nova etapa dentro do seu projeto de pesquisa sobre o Folclore.

Depois de meses estudando, realizando levantamento, experimentando cenas e exercícios, o grupo já definiu a linha do espetáculo que vai nascer desse processo e agora entra na etapa de criação da dramaturgia da peça.

Os personagens e cenas que foram criados nos diversos exercícios e laboratórios que foram realizados agora voltam ao palco e vão se interligando para compor a história que será mostrada para o público infantil. Como o grupo vem desenvolvendo um processo de criação coletiva para esse espetáculo, a base do texto também surge em exercícios conjuntos, para só depois ser finalizado pelo dramaturgo do grupo.

Além de entrar no processo de dramaturgia o grupo também está com treinamentos de musicalização, uso de máscaras e danças folclóricas para utilização no espetáculo.

Todo o processo é um aprendizado muito grande para o grupo, um aperfeiçoamento que acrescenta no repertório de trabalho dos seus integrantes e vem de uma ótima interação entre o grupo e o orientador do projeto, Fábio Resende, que tem participação fundamental na criação do espetáculo como instigador da curiosidade e do aperfeiçoamento do grupo. É ele constantemente nos desafia, nos propõe novos olhares e experiências e nos leva a uma reflexão madura sobre o fazer teatral. É uma parceria que está dando muito certo.

A Cia. "Ainda sem Nome" agradece a oportunidade dada pelo Projeto Ademar Guerra e tem procurado ao máximo aproveitar essa oportunidade para amadurecer nosso trabalho.

Beijos e abraços a todos,

Cia. "Ainda sem Nome"
Ribeirão Preto
ciasemnome@gmail.com

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Notícias da Cia. Bumba-Meu-Baco (Rio Claro)






Oficinas de Teatro
A Cia Bumba-Meu-Baco está debruçada desde abril de 2009 sobre a pesquisa do movimento Hip Hop, elaborando a montagem do espetáculo “Hip Hop em Cena”, com os atores Adam Rudinick, Camila Canuto, Daniel Calderaro, Fernando Ortolano, Gabriela Bortolozzo, Josi Lima, Natália Pires e Marcelo Rezende.
O processo está sendo articulado com oficinas de expressão corporal articulado com pesquisa bibliográfica e iconográfica sobre o movimento Hip Hop.
O grupo está sob a direção do ator Luiz Saci, desde o ano de 2005 e já montou diversos espetáculos através do projeto de Extensão Universitária da Unesp Campus Rio Claro.
A existência da periferia nas cidades é um fato, seja ela uma metrópole, ou uma pequena cidade interiorana, muitas vezes a sua existência acaba sendo justificada por um desenvolvimento urbano-industrial que provocou uma aceleração das migrações regionais, durante os anos 1950, 1960 e 1970. Milhões de pessoas transferiram-se para o eixo Rio-São Paulo, atraídas por uma inédita oferta de empregos, gerada no seio de uma rápida industrialização, o que também levou a uma urbanização caótica. Nesse contexto podemos entender os mecanismos de surgimento das comunidades periféricas, que é o cenário principal para atuação dos ativismos sociais contemporâneos.
Julgamos ser de extrema importância discutir com a população geral os assuntos propostos e abordados pelo movimento Hip Hop.
A proposta da montagem de “Hip Hop em Cena” terá como inspiração as raízes históricas do movimento Hip Hop, tendo como fundamentação sua abordagem social, política, cultural e artística.




Performance “Hip Hop em Cena”
No dia 18 de junho, a Cia. Teatral Bumba-Meu-Baco, participou e organizou o evento “I REVIRADA CULTURAL DA UNESP RIO CLARO”.
A seleção do repertório de 15 apresentações artísticas sendo elas teatro, dança, cinema e performance que aconteceu na Universidade Estadual Paulista do Campus de Rio Claro (UNESP) foi organzida pelo diretor Luiz Saci.
A Cia. Bumba-Meu-Baco apresentou uma performance cênico-musical, sobre o movimento Hip Hop, que já é um dos resultados do processo de trabalho do projeto “HIP-HOP EM CENA”.


Visita do coordenador regional Paulo Barcelos.
Na última sexta-feria, dia 26 de junho a Cia. Teatral Bumba-Meu-Baco da cidade de Rio Claro, recebeu a visita do coordenador regional Paulo Barcelos, juntamente com a orientadora artística Fernanda Faria.
A visita foi muito produtiva no sentido de potencializar o trabalho que já vendo articulado pelo grupo junto com a orientadora artística, com muitas sugestões, dicas e críticas sobre o processo de trabalho de um modo geral.

Luiz Saci
Cia. Bumba-Meu-Baco
Rio Claro-SP